Você pode passar a sua vida sem Jesus, mas vai ser terrível morrer sem Ele!!!

Você pode passar a sua vida sem Jesus, mas vai ser terrível morrer sem Ele!!!

Paulo Junior:

Loading...

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Os limites de Satanás.

---------- Mensagem encaminhada ----------
De: Ricardo Ferreira <ricardo_autogian@hotmail.com>


Para você, que tamanho tem o diabo? É ele tão grande como Deus? Seja honesto consigo mesmo. Nos assuntos cotidianos da vida, no âmago do problema, quem lhe parece ter mais poder? Se você for como a maioria das pessoas que conheço — incluindo a maioria dos cristãos — você dirá com o intelecto, e até com o coração, que Deus é maior que o diabo. Mas as suas ações, e aquela sensação na boca do estômago, alinham-se com o seu intelecto e com o coração?

A maioria das pessoas que conheço dá ao diabo muito mais crédito do que lhe é devido. Realmente elas não entendem o relacionamento que há entre Deus e o diabo. Elas clamam: "Não sou páreo para o diabo. Ele é grande demais para mim. É fortíssimo. É por demais poderoso! Ele é muito . . . muito . . . muito . . . muito ..."

Claro, isso é verdade se você não é crente no Senhor Jesus Cristo. Se ainda vive em seus pecados e nunca experimentou o perdão de Jesus em sua vida, então está combatendo um inimigo maior do que você.

Se, porém, você é crente no Senhor Jesus Cristo, eis o que minha Bíblia diz acerca de sua situação: "Maior é o que está em vós do que o que está no mundo" (1 João 4:4). Quando aplica¬mos em nós essa verdade, podemos dizer confiantes: Aquele que está em mim (Jesus Cristo) é maior do que aquele que está no mundo (o diabo).

Seu Inimigo é Limitado

Deus e o diabo não se acham em planos iguais tentando disputar pela força o domínio sobre sua alma. Muitas pessoas imaginam que Deus está de um lado e o diabo do outro, enquanto elas mesmas estão em algum ponto no meio, sendo puxadas em uma direção ou na outra. De modo geral elas retratam o campo de esportes como plano. Mas esse não é, absolutamente, o caso.

Deus é onipresente. Ele está em toda parte ao mesmo tempo, enquanto o diabo é limitado no tempo e no espaço. 

Deus também é onipotente; ele faz tudo o que desejar fazer. O diabo, porém, não é todo-poderoso. Ele deve operar segundo as regras estabelecidas para ele por Alguém que tem todas as coisas sob seu controle. O diabo só pode operar dentro dos parâmetros que o corpo de Cristo lhe dá.

É de suma importância que você entenda esse ponto. O diabo só tem oportunidade de operar onde você lhe permita que ele o faça. Por isso o apóstolo Paulo disse: "e não deis lugar ao diabo" (Efésios 4:27). Em outras palavras: "Não ofereça ao diabo nenhum espaço em sua vida. Não pendure uma placa "aluga-se" em nenhuma área de sua vida." Se você o fizer, ele se apossará desse território.

Quando você tem em sua vida o poder de Deus, quando Jesus está governando e reinando no trono do seu coração, então aquele que está em você é maior do que aquele que está no mundo. Há, na realidade, pelo menos sete coisas que o diabo não pode fazer.

O diabo não pode invadir o sangue de Jesus.

Há alguns anos recebi um telefonema de alguém pedindo ajuda para outra pessoa. Um homem se havia trancado no quarto dum hotel e depois mandou dizer que se mataria, a não ser que Larry Lea fosse lá conversar com ele pessoalmente. Concordei, pois, em ir vê-lo, e o pastor Sonny Conatser foi comigo.

Ao nos aproximarmos do quarto onde supúnhamos que o homem devia estar, batemos na porta. Não houve resposta. Finalmente verificamos a fechadura da porta: ela estava aberta, de modo que entramos com toda cautela. Não havia ninguém no quarto.

Fui ao banheiro, ainda com todo o cuidado, e nesse momento toda sorte de imagens me passou pela mente. Que iria eu encontrar atrás daquela porta?

Ao entrar no banheiro, verifiquei que a cortina do chuveiro estava fechada sobre a banheira. Quando me aproximei para abri-la, ouvi a porta atrás de mim bater ruidosamente.

Virei-me e dei de cara com um homem que se parecia exatamente com aquele que eu havia imaginado, alguém por nome "Dirty Harry" (Harry Sujo). O homem estava em pé a uma distância de apenas 60 centímetros, naquele pequeno banheiro; media aproximadamente 1,90 m de altura. Usava barba, e tinha na mão esquerda uma embalagem de seis latas de cerveja. Podia ver-se pela aparência de seus olhos que ele estava "alto" com algo mais do que álcool.

Imediatamente o homem abriu a camisa e sacou um revólver magnum 357, e passou a apontá-lo em minha direção. Lançou-me um olhar furioso e disse:

— Hoje nenhum de nós vai deixar vivo este quarto.

E continuou a repetir esta ameaça, como se fosse uma idéia fixa.

É desnecessário dizer que naquele tipo de situação a gente descobre rapidamente qual o tipo de fé que se tem. 

Instintivamente comecei a apelar para o sangue de Jesus, a reivindicar o poder do sangue de Jesus naquela situação, e a apropriar-me do sangue de Jesus sobre minha vida, sobre a de Sonny e sobre a deste homem. Mesmo enquanto o homem vociferava e delirava incoerentemente, declarando-me que eu não sairia vivo dali, comecei a falar à meia-voz: "O sangue de Jesus tem poder e está sobre mim. O sangue de Jesus quebrou o poder do diabo. O sangue de Jesus me protege. O sangue de Jesus cobre Sonny."

Por que usei essas palavras? Porque a coisa número 1 que o diabo não pode fazer é invadir o sangue de Jesus Cristo. O sangue de Jesus já rompeu o poder do diabo, e esse sangue é uma força, um poder que está disponível neste Universo a todo filho de Deus que pede livramento e salvação de toda situação, circunstância ou pecado.

Este homem ignorava o que eu estava fazendo ou dizendo. Ele não tinha a mínima idéia do que estava ocorrendo. Mas, de repente, parou de falar e fixou os olhos em mim, ainda me apontando a arma, como se esperasse minha reação.

Pensei: ó Deus, como seria bom se a Tua Palavra estivesse em minha boca nesse precioso momento. Eu não tinha idéia do que deveria dizer. Porém acreditava que o Espírito Santo estava em mim e falaria por meu intermédio. 

Eu disse algo que até hoje não sei o que foi. Minha boca parecia proferir palavras sem o envolvimento de minha mente. Fosse o que fosse que eu havia dito, o que vi de imediato foi o homem abaixar o revólver e perguntar-me:

— Bem, que é que você quer que eu faça? Olhei para ele e disse:

— A primeira coisa que eu quero que você faça é deitar-se naquela cama —. Não tenho a mínima idéia de por quê eu disse tal coisa. E repeti:

— Deite-se na cama!

Ele saiu do banheiro, encaminhou-se para a cama e deitou-se, ainda segurando a arma. Pensei: E agora, que faço? Disse-lhe:

— Vou orar por você neste momento —. Então comecei a orar:

— Em nome de Jesus, amarro os poderes do suicídio; amarro os poderes da morte; amarro os poderes do homicídio, amarro os poderes da destruição.

Ao dizer essas palavras, sua mão soltou a arma. Olhei para Sonny e disse-lhe:

— Pegue-a!

Sonny não perdeu tempo para fazê-lo. O homem, porém, não movia um músculo sequer, simplesmente continuou ali deitado.

Depois guiei esse homem na oração do pecador, e naquela mesma hora ele aceitou a Jesus Cristo como seu Salvador e Senhor pessoal. Aquilo que teve início como uma hora de morte, tornou-se uma hora de vida. Aquilo que começou como um momento em que os demônios gargalhavam, passou a ser uma hora de regozijo entre os anjos.

Como foi que isto aconteceu? Estou firmemente convencido de que aconteceu porque o sangue de Jesus foi aplicado naquele momento.

Lembra-se da primeira Páscoa, conforme está registrada no livro de Êxodo, quando o anjo da morte foi enviado por Deus a toda a terra do Egito a fim de destruir o primogênito de todo ser vivo? (Veja Êxodo 14.) O único lugar em que o anjo da morte não poderia entrar era nos lares onde o sangue havia sido aplicado nas ombreiras das portas. Hoje contamos com esse tipo de proteção: O diabo não pode penetrar onde o sangue de Jesus é aplicado.
Todos os dias aplico o sangue de Jesus. Digo:

— O sangue de Jesus está sobre todo o meu ser. O sangue de Jesus está sobre minha esposa e sobre meus filhos. O sangue de Jesus está sobre o meu lar. O sangue de Jesus está sobre o meu trabalho. O sangue de Jesus está sobre a minha igreja.

Deixo que as palavras de Apocalipse 12:11 soem em meus ouvidos e em meu coração: "Eles o venceram (ao acusador, que é o próprio diabo) pelo sangue do Cordeiro e pela palavra do seu testemunho." Louvado seja Deus pelo sangue do Cordeiro e por seu poder em nossa vida!

O diabo não pode causar-lhe dano se você vestir toda a armadura de Deus diariamente, e reivindicar a autoridade que você tem em Jesus Cristo.

A Bíblia diz-nos com toda a clareza em Efésios 6:10-11: "No demais, irmãos meus, fortalecei-vos no Senhor e na força do seu poder." Ela diz que quando nos revestimos de toda a armadura de Deus, estamos em posição de "ficar firmes contra as ciladas do diabo".

Você jamais pensaria em sair nu para o trabalho ou para ir à igreja. Nem deveríamos pensar em deixar nossos lares pela manhã sem nos revestirmos de nossas vestes espirituais: cingindo-nos com a verdade; a couraça da justiça cobrindo-nos o coração; calçando os pés com a preparação do evangelho da paz; tendo sobre a cabeça o capacete da salvação; o escudo da fé e a espada do espírito em nossas mãos. Plenamente revestidos desta armadura, podemos erguer-nos em oração contra os dominadores deste mundo tenebroso. (Veja Efésios 6:10-18.)

Somente quando estamos assim vestidos com a armadura de Deus é que nos encontramos em posição de reivindicar Lucas 10:19 para a nossa vida: "Eu vos dei autoridade para pisar serpentes e escorpiões, e toda a força do inimigo, e nada vos fará dano algum."

Essa é a promessa de Deus. Creio, porém, que ela é a promessa de Deus somente para os que decidem ter essa autoridade e poder em suas vidas. Após nos revestirmos da armadura de Deus, podemos declarar: "A injustiça não me governará; as mentiras não me governarão; o medo não me governará; a dúvida não me governará; as imaginações más não me governarão; a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida não me governarão."

Então, quando os dardos inflamados chegarem até nós, declaramos com a palavra de nossa fé em Deus que proferiremos bênçãos ao invés de maldições, palavras de fé ao invés de palavras de dúvida, afirmações a respeito de Jesus ao invés de ceticismo. Declaramos, em todas as circunstâncias que "todas as coisas concorrem para o bem daqueles que amam a Deus" (Romanos 8:28).

O diabo não pode ler a sua mente.

Dissemos que Deus é onipresente e onipotente — que ele está em toda parte e pode fazer qualquer coisa. Devemos reconhecer também que Deus é onisciente. Ele sabe todas as coisas. O diabo, porém, é limitado naquilo que sabe. Ele só sabe o que você diz. Satanás não pode ler a sua mente. Mas ele conhece suas palavras. Assim, cuidado com o que você diz. Creio ser esse o significado de Hebreus 13:15: "Portanto, ofereçamos sempre por meio dela a Deus sacrifício de louvor, que é o fruto de lábios que confessam o seu nome."
Que é que devemos proclamar? Louvar a Deus pelo que Ele está fazendo em nossas vidas. Dar graças ao seu nome pelo que Ele tem feito por nós. Quando? Sempre, continuamente — o que significa todo o tempo.

Há um bom motivo para isto. Não se trata de sermos cristãos despreocupados, dando voltas a esmo todo o tempo, com um ar vidrado nos olhos e um sorriso imbecil no rosto. Deus não nos diz isto para que evitemos um confronto com a realidade da vida. Ele no-lo diz para que possamos enfrentar a vida de frente, com a face erguida, e sair vitoriosos.

Deus quer que andemos em contínuo louvor e em contínua atitude de gratidão porque Ele sabe, e o diabo também sabe, que o reino do espírito opera através de nossas palavras. A Bíblia diz que se com a boca você confessar a Jesus como Senhor, e em seu coração crer que Deus o ressuscitou dentre os mortos, você será salvo. Porque com o coração se crê para a justiça e com a boca se confessa a respeito da salvação (veja Romanos 10:8-9). 

Em outras palavras, sua salvação e minha salvação baseiam-se num processo de dois passos: primeiro, cremos em nosso coração, e, segundo, com a boca confessamos aquilo que cremos no coração.

Não me refiro àquilo a que eu chamaria de "confessionismo" ocioso — a crença segundo a qual tudo o que você desejar, basta dizê-lo e o conseguirá. Refiro-me a uma confissão bíblica da Palavra de Deus.

Quando há fé em seu coração de que Jesus vencerá em determinada situação, de que Jesus será vitorioso, de que você está do lado de Jesus, e de que o diabo será derrotado; quando você proclamar essa fé na forma de louvor a Deus e de ações de graças pelo que ele já fez em sua vida, então os exércitos angelicais serão liberados para servir a você como herdeiro da salvação.

Por outro lado, se em seu coração você crer que Jesus não vencerá, que o diabo é mais forte, que nada que você faça importa; se você divulgar essa atitude na forma de dúvida, desestímulo ou medo, então as forças demoníacas estarão capacitadas a mudar-se para essa área de sua vida a fim de destruí-lo.

O que sai de sua boca não somente ativa a Deus a agir em sua arena, como também ativa o diabo a fazer o mesmo em sua arena. Esse é o motivo por que tantas vezes digo: "Ore muito antes de proferir as palavras!"

Quase ao mesmo tempo em que você está preparado para expressar inadvertidamente um juízo sobre uma determinada questão, ou expressar alguma dúvida ou desgosto, ou proferir alguma outra palavra que revele falta de fé, pare e pergunte a si próprio: Preciso mesmo dizer isso? Peça a Deus que lhe dê antes uma "palavra de testemunho" a respeito dele e a respeito do que Ele pode fazer na situação. Ele o fará! Então, a segunda parte de Apocalipse 12:11 será confirmada: "Eles o venceram pelo san¬gue do Cordeiro e pela palavra do seu testemunho."

O diabo não irá embora, a menos que você o expulse.

Os fariseus certa feita acusaram Jesus de expulsar demônios pelo nome e poder de Belzebu, príncipe dos demônios. (Veja Mateus 12, a começar com o versículo 25) Em outras palavras, eles diziam que o próprio Jesus estava possuído de demônio e que seus milagres eram feitos pelo poder de Satanás que operava em sua vida.

Jesus respondeu-lhes: "Todo reino dividido contra si mesmo acabará em ruína. ... E, se Satanás expulsa a Satanás, está dividido contra si mesmo." E prosseguiu: "Ou, como pode alguém entrar na casa do valente e roubar os seus bens, se primeiro não amarrá-lo, saqueando então a sua casa?" O ponto importante de sua resposta foi este: "Satanás não expulsa a Satanás."

Muito se tem dito nos últimos meses nas redes nacionais de comunicação sobre satanismo e o poder do diabo sobre a vida das pessoas. Mas tenho-me divertido um bocado com o fato de Deus usar os veículos seculares para despertar a igreja a dizer. "Hei, rapazes, a Bíblia é verdadeira."

Quando eu estava no seminário, tínhamos debates sobre se os demônios estavam ou não ativos nos Estados Unidos. Debatíamos se alguém teria o poder de expulsar demônios, se eles de fato existiam. Tudo era mantido no campo da teoria; ignorava-se totalmente o fato que, mesmo enquanto discutíamos a situação, os demônios da dúvida, os demônios da incredulidade, os demônios do ceticismo e os demônios da zombaria estavam impedindo o avanço de muitas pessoas que perambulavam pelos corredores da igreja.

Agora, porém, as pessoas já não perguntam se os demônios são reais — perguntam o que fazer com relação ao problema. Uma coisa é analisar a situação; outra muito diferente é saber como solucioná-la. Se nossa nação quiser sobreviver aos anos vindouros, creio ser necessário que um grupo de pessoas se levante dentro da igreja, pessoas que não somente sejam capazes de reconhecer a natureza demoníaca de muitas situações, mas que saibam o que fazer com os demônios quando elas os encontram. 

Enquanto nos preparamos para derrubar as fortalezas espirituais, jamais devemos esquecer que um demônio não destruirá a si mesmo ou, voluntariamente, abrirá mão de seu território. Cabe a nós — a você e a mim — combater o diabo. Cabe a nós expulsá-lo do território que atualmente ele ocupa. Cabe a nós resistir ao diabo. Lemos em 1 Pedro 5:8-9: "O vosso adversário, o diabo, anda em derredor, rugindo como leão, buscando a quem possa tragar. Resisti-lhe, firmes na fé!" (grifo acrescentado).

Um jovem de MacAlester, Oklahoma, recentemente foi entrevistado num dos programas da rede de televisão. À época de sua entrevista ele estava preso, aguardando sua execução. Quando adolescente havia adorado a Satanás, e o diabo o havia possuído a tal ponto que ele perdera todo o controle consciente sobre suas próprias ações. Ele havia assassinado brutalmente o pai e a mãe enquanto estava no estado de escravidão espiritual.

Porém, depois de ir para a prisão, este jovem nasceu de novo, foi liberto da influência demoníaca e ficou cheio do Espírito Santo. Na entrevista perguntaram-lhe sobre o satanismo, e enquanto estava sentado ali na prisão, aguardando a morte, sua advertência foi vigorosa. Ele insistiu em que nos despertássemos em nosso trato com os demônios a fim de reconhecermos que não podemos aconselhar ou psicoanalisar um demônio, porque ele nos mente todo o tempo.

Esse jovem sabia do que estava falando. Pode-se "dissuadir" uma pessoa de ser possuída pelo diabo. Porém, não se pode "convencer" um demônio a sair voluntariamente. Os demônios não deixam pacificamente uma fortaleza. Eles têm de ser expulsos. Assim, compete aos homens e às mulheres que se dizem filhos de Deus assumir autoridade sobre eles e amarrar o poder que eles têm — e essa tarefa inclui ambos, você e eu.

Nunca me esquecerei do dia em que entrei numa sala onde um grupo de pessoas discutia com um homem possesso. Finalmente, um dos homens agarrou o endemoninhado e gritou com ira: "Diga-me a verdade, seu demônio mentiroso!" Está aí uma coisa impossível! Como pode um mentiroso dizer a verdade? A melhor providência teria sido invocar o sangue de Jesus, proclamar as palavras de fé acerca da autoridade e poder de Jesus Cristo, e expulsar o demônio dessa pessoa, em nome de Jesus.

Satanás não pode impedir que a montanha de suas dificuldades se mova, se você semear a semente da fé e falar a essa montanha.

Devemos fixar em nossa mente, com toda clareza, que o diabo não pode impedir a realização de um milagre que Deus tenciona para nós. Ouço muitas pessoas dizer: "Bem, o diabo fez isto" ou "diabo fez aquilo". Elas dão crédito demais ao diabo.

A Bíblia diz: "Não vos enganeis: Deus não se deixa escarnecer. Tudo o que o homem semear, isso também ceifará" (Gálatas 6:7). Seja o que for que você tenha semeado, você colherá. Não há como fugir disso. O problema não é tanto o que diabo está fazendo, e, sim, que as pessoas não estão semeando as espécies certas de sementes. Uma erva daninha só crescerá onde não tenha sido semeada uma boa planta.

Jesus disse: "Se tiverdes fé como um grão de mostarda, direis a este monte: Passa daqui para acolá, e ele passará. Nada vos será impossível" (Mateus 17:20). O problema não reside exclusivamente no impedimento do diabo. Reside nas pessoas que não têm fé; que não semeiam a semente de sua fé no lugar certo, na hora certa, guiadas pelo Espírito Santo; que não dizem à sua montanha de problemas: "Vai-te daqui."

Jesus disse que a montanha mudará. Disse que nada será impossível a você. Mas sua mente é do tipo que diz que tudo é impossível — ou que nada é impossível? Será que sua mente diz: "Nada há que eu possa fazer para deter o diabo"? Ou você está plantando sementes de fé, crendo sinceramente que Deus está com você, e falando às suas dificuldades: "Saiam de minha vida, em nome de Jesus"?

O sexto capítulo de Gálatas diz mais: "O que semeia na sua carne, da carne ceifará a corrupção; o que semeia no Espírito, do Espírito ceifará a vida eterna. E não nos cansemos de fazer o bem, pois a seu tempo ceifaremos, se não houvermos desfalecido" (Gálatas 6:8-9).

Isso me diz: "Semeia e continua semeando. Continua crendo; continua proferindo palavras de fé — até ao último segundo, quando teu milagre vier a acontecer."

Creio que geralmente há um intervalo de tempo entre o momento em que você lança a semente e o tempo de sua montanha mudar-se. Há um intervalo de tempo entre o plantio de qualquer semente e a colheita, e é durante esse tempo que sua fé será provada. Você não terá de ficar perguntando se a sua semente brotará e produzirá colheita. Não terá de ficar perguntando se realmente a sua montanha se mudará e se lançará no mar. Não terá de indagar quando será a estação própria. 

Entretanto, a Bíblia diz que se você não desfalecer — em outras palavras, se você não desistir — então a colheita certamente chegará, a montanha certa¬mente mudará de lugar e por certo a vitória será sua. Nada de palavras que tragam dúvida. O diabo nada pode fazer para impedir que a vitória aconteça.

O diabo não pode impedir que se cumpram na terra os propósitos supremos de Deus.

Quais são alguns dos propósitos de Deus que o diabo não pode deter, retardar ou obstruir? Primeiro, o diabo não pode impedir que a igreja prevaleça. Enquanto a igreja permanecer em oração e obediência diante do trono de Deus, não importa o que venha a atingi-la, não importa que luta ela enfrente, não importa que erros uma pessoa possa cometer (incluindo o pastor), a igreja prevalecerá. Um dos propósitos supremos de Deus é que a igreja seja triunfante.

Jesus disse: "Sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela" (Mateus 16:18). Que pedra é essa? É uma declaração de fé, de que Jesus é o Cristo, o Filho do Deus vivo. Uma igreja que declare que Jesus é o Cristo, o Filho do Deus vivo é, portanto, uma igreja vencedora.

Anos atrás, em Dallas, um grupo de irmãos de uma igreja local começou a experimentar uma grande ação de Deus entre seus membros. As pessoas eram curadas e salvas, e a igreja começou a crescer. Então o pastor da igreja recebeu um telefonema.

Quem estava na outra extremidade da linha, disse: "Agora, ouça — se você não parar com todo esse negócio de pregar que Jesus pode curar e libertar as pessoas, vamos chutá-lo para fora da cidade." Então o pastor disse consigo mesmo: "Bem, acho que o melhor é acalmar um bocadinho."

Foi o que ele fez, e o Espírito Santo ficou entristecido. A igreja começou a morrer, e finalmente deixou de existir.

Sabe o que aconteceu na mesma ocasião? O irmão Howard Conatser, pastor da igreja batista de Beverly Hills, saiu um domingo de manhã, e disse: "Gente, hoje vamos simplesmente adorar a Deus. Joguemos fora nosso boletim e deixemos que Jesus seja o Senhor da igreja." E começou a orar: "Nem mesmo sabemos como ter uma igreja; nem mesmo sabemos o que é a igreja, Senhor; mas aqui estamos e vamos entregar-nos a ti."

Sabe o que aconteceu? A glória de Deus caiu sobre aquele lugar e o povo começou a adorar. As pessoas ficaram na igreja por três ou quatro horas naquela noite, e ninguém ligava para o horário. A Sra. Barryman, esposa do presidente da junta diaconal, foi curada; Deus começou a convencer as pessoas de seus pecados; e vidas foram transformadas. Essa igreja passou de quatrocentos alunos na escola dominical para mais de quatro mil alunos quase da noite para o dia.

Por quê? Porque Deus está buscando uma coisa somente: um povo obediente que diga: "Queremos tão-somente o que tu queres, ó Deus." Isso é tudo. E quando Deus encontra tal pessoa, ou tal grupo de pessoas, é nesse lugar que ele faz conhecidos os seus propósitos.

Nada que o diabo faça é suficiente para impedir que o propósito de Deus se manifeste em poder e autoridade em um indivíduo ou corpo de crentes. O diabo não pode fazer absolutamente nada para impedir que a igreja de Deus prevaleça se ela permanecer em oração e obediência, e declarar que Jesus é o Cristo, o Filho do Deus vivo.

O segundo propósito de Deus que o diabo não pode deter é que Jesus, seu Filho, venha outra vez. Quando o Deus todo-poderoso olhar para o seu Filho e disser: "É hora, Filho", nada haverá que o diabo possa fazer que impeça a volta de Jesus. No micromilésimo de segundo que Deus quiser que Jesus venha, ele virá.

Creio que podemos apressar esse dia. Se fizermos nosso trabalho, e o fizermos bem feito, se tomarmos o bastão e corrermos com ele, creio que podemos acelerar Sua vinda. Jesus vem para uma noiva, uma igreja, que se apresente como rainha, plenamente vestida de majestade, beleza, santidade e pureza. Se nos aplicarmos à tarefa de nos prepararmos para ser esse tipo de noiva — e isso constitui nosso trabalho e nossa responsabilidade —, então creio que podemos apressar a volta do Senhor Jesus Cristo.

Por outro lado, se decidirmos que não somos a noiva de Cristo; se não nos prepararmos para estar diante dele em majestade, beleza, santidade e pureza; e se não tomarmos a nossa cruz e não realizarmos a sua obra, então retardaremos sua volta. Todavia, seja como for, a vinda do Senhor Jesus não é apressada ou atrasada por coisa alguma que Satanás faça ou deixe de fazer. Ele não é fator no horário de Deus.

Terceiro, o diabo não pode impedir que Jesus o lance às profundezas do abismo. Quando Jesus voltar e disser: "Satanás, vou trancá-lo num abismo sem fundo", nada há que Satanás possa fazer para impedir que isso aconteça. E o mesmo princípio é válido em sua vida. Quando Jesus expulsa a Satanás de uma área de sua vida, nada há que Satanás possa fazer, exceto sair.

Em verdade, Satanás não pode deter nenhum dos propósitos supremos de Deus em você, assim como não pode deter os propósitos supremos de Deus para a igreja, ou para o mundo, ou para ele próprio, Satanás. Se você é filho de Deus, então está imune à morte nesta vida enquanto não terminar seu propósito. Satanás não pode acabar com você prematuramente.

Tenho conversado com muitas pessoas que temem morrer antes de concluírem seu trabalho para o Senhor, e esse temor as tem amarrado. Digo-lhe, porém, com toda a autoridade do nome de Jesus, que você não deixará seu corpo físico onde reside neste momento para ir estar com o Senhor em seu corpo espiritual — antes que o propósito de Deus se complete em você aqui na Terra. "Fiel é o que vos chama, o qual também o fará" (1 Tessalonicenses 5:24). Que é que Deus fará? Ele fará que "vosso espírito, alma e corpo, sejam conservados íntegros e irrepreensíveis na vinda de nosso Senhor Jesus Cristo (1 Tessalonicenses 5:23). Louvado seja Deus por sua fidelidade para conosco!

O diabo não pode confessar que Jesus Cristo veio em carne ou que Jesus Cristo é Senhor.

O diabo nunca louvará a Jesus. Ele não declarará que o Filho de Deus veio à terra na forma de homem. Não proclamará a ressurreição de Jesus. Não declarará que Jesus é o Cristo ou que Jesus é Senhor.

Verifica-se o mesmo com relação aos seres humanos que se acham sob a influência de demônios. Diz a Bíblia que "ninguém que fala pelo Espírito de Deus diz: Jesus é anátema! e ninguém pode dizer: Jesus é o Senhor! senão pelo Espírito Santo" (1 Coríntios 12:3). As Escrituras também dizem: "Todo espírito que confessa que Jesus Cristo veio em carne é de Deus, mas todo espírito que não confessa a Jesus não é de Deus" (1 João 4:2,3).

Recentemente, em um de nossos cultos, um jovem clamava descontroladamente enquando fazíamos o convite para as pessoas receberem a Cristo. De imediato discernimos que ele estava cheio de um espírito de ira. Sua ira ia além de qualquer ira humana normal; era de inspiração demoníaca.

Enquanto ele clamava, ordenei ao espírito que estava no jovem que silenciasse em nome de Jesus. Ordenei-lhe que saísse dele. Dei imediatamente a seguir o terceiro passo. Disse ao jovem: "Agora quero que você comece a confessar que Jesus veio em carne, que Jesus é o Cristo, que Jesus é Senhor, que Jesus o está libertando e que Jesus é o Senhor de sua vida." Ele o fez, e o poder de Deus inundou seu ser. Naquela noite ele foi liberto da escravidão e gloriosamente salvo.

Muitas vezes ouvimos falar de "teste de tornassol" para isto ou para aquilo. O teste de tornassol, no seu aspecto científico, destina-se a mostrar se uma substância é alcalina ou ácida. Há, porém, um "teste de tornassol espiritual" que podemos empregar sempre para determinar se alguém é de Deus ou não. O teste é este: Confessa a pessoa que Jesus é o Filho de Deus vindo em carne, e que Jesus é Senhor?

Se pode sincera e honestamente confessar, com a plena convicção de seu espírito, que Jesus é Filho de Deus vindo em carne e que Jesus é Senhor, então ela é de Deus. Mas se se mostra hesitante, se começa a apresentar escusas ou a qualificar sua resposta, ou se se recusa a responder, então a confissão que fizer não procede de Deus. É simples.

Um demônio nem mesmo dirá as palavras "Jesus é Senhor", a menos que o faça em tom de zombaria. Os demônios não confessarão que Jesus é Filho de Deus vindo em carne. Não declararão que Jesus é Senhor.

Nós, porém, podemos. Cabe a nós declarar o senhorio de Jesus. Em assim fazendo, amarramos a incredulidade e pregamos o evangelho de modo verdadeiramente eficaz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário