Você pode passar a sua vida sem Jesus, mas vai ser terrível morrer sem Ele!!!

Você pode passar a sua vida sem Jesus, mas vai ser terrível morrer sem Ele!!!

Paulo Junior:

Loading...

quinta-feira, 19 de maio de 2011

DESMASCARANDO MAOMÉ...

---------- Mensagem encaminhada ----------
De: Este Mundo Jaz no Maligno <teophilonoturno

Este Mundo Jaz no Maligno (Islamismo)

Link to Este Mundo Jaz no Maligno

Islamismo

Posted: 18 May 2011 04:30 PM PDT

   O Islã surgiu com Muhammad bin Abdallah, mais conhecido por Maomé, um pastor de ovelhas e comerciante nascido no ano 570, na cidade de Meca, hoje Arábia Saudita.
   Aos 40 anos de idade Maomé teve uma visão onde o anjo Gabriel lhe revelou o Alcorão, livro sagrado do Islã: Maomé seria o novo e último profeta de Alá, o nome árabe para o mesmo Deus de Abraão e Jesus.
   Islã significa submissão. O seguidor do Islã é chamado de muçulmano, que significa "aquele que se submete a Deus".
   Maomé faz sua pregação num ambiente de religiões politeístas, mas logo consegue adeptos para a fé no Deus Único.
   Mais tarde é perseguido e ameaçado de morte, e foge de Meca, refugiando-se em Medina, onde fundaria a primeira cidade islâmica.
   Essa fuga ou migração, chamada de Hégira, ocorre a 24 de setembro de 622, data celebrada no Islã como o início de uma nova era, o ano 1 do calendário árabe.
   Maomé morre em 632, quando toda a Península Arábica já é Islamita.
   Hoje o Islã é a maior religião do mundo, com cerca de 1,5 bilhões de fiéis: cresce mais que o cristianismo, especialmente na África e Ásia.
   Lamentavelmente, nos últimos anos o Islã tem sido associado ao nacionalismo político radical, graças a fiéis como Bin Laden, Sadan Hussein, Palestinos e Talibãs.
   A doutrina do Islã está em "Cinco Pilares de Fé", que todo fiel deve cumprir:
  1. A profissão de fé: "há um só Deus, Alá; e Maomé é seu Profeta" – para se converter ao Islã, basta proferir essa confissão na presença de testemunhas;
  2. A oração ritual, feita diariamente com o rosto voltado para Meca, acompanhada de gestos e genuflexões;
  3. O jejum, especialmente no Ramadã, o mês do perdão;
  4. A esmola, visando a purificação e a gratidão a Deus;
  5. A peregrinação a Meca, que todo islamita deve fazer pelo menos uma vez na vida.
   No dia-a-dia a fé islâmica tem muita oração em casa.
   A sexta-feira é reservada para orações comunitárias e pregação do Alcorão nas mesquitas.
   Festivais anuais reúnem milhões de peregrinos em Meca, onde se cumprem rituais como dar sete voltas na Caaba e andar pelo deserto, lembrando a saga de Ismael, filho de Abraão com a concubina Agar, conforme relatado no livro de Gênesis (capítulos 16 e 21): os árabes seriam descendentes de Ismael, enquanto Judeus descenderiam de Isaque, filho de Abraão com Sara.
   O Cristianismo está próximo do Islã na fé no Deus Único e Todo-Poderoso, Criador do mundo e misericordioso; na herança histórica comum testemunhada no Alcorão e na Bíblia; na crença no juízo final e na ressurreição dos mortos; na crítica à idolatria; na justiça divina manifesta na história e realizada no amor ao próximo e na piedade.
   O Islamismo se afasta do Cristianismo ao não aceitar a Trindade e que Jesus Cristo seja Filho de Deus e Salvador.
   O Islã se considera uma Reforma do Judaísmo e do Cristianismo, e diz que o Alcorão corrige o Antigo e o Novo Testamento; seria uma espécie de "3ª versão corrigida e ampliada" de uma mesma mensagem de Deus.
   Em contrapartida, cristãos não consideram Maomé um profeta, e nem que o Alcorão contenha revelação de Deus.
   A matéria sobre o islamismo é bastante extensa, por isso fizemos aqui apenas um resumo.
   Leia mais sobre Maomé no (excelente) artigo postado em 07/05/2011 no Blog do Adail: "Desmascarando Maomé", de Geert Wilders.



É Hora de Desmascarar Maomé

Geert Wilders, quarta-feira, 31/03/2011

Para saber por que o Islam é um perigo mortal, deve-se considerar não só o Corão, mas também o caráter de Maomé, que concebeu o Corão e o Islam em sua totalidade.

O Corão não é só um livro. Os muçulmanos acreditam que o próprio Alá o escreveu e que ele foi ditado a Maomé na versão original, o Umm al-Kitab, que fica sobre uma mesa no Céu. Consequentemente, não se pode discutir seu conteúdo. Quem ousaria discordar do que o próprio Alá escreveu? Isto explica muito do comportamento maometano, da violência da jihad ao ódio e à perseguição aos judeus, cristãos e outros não-muçulmanos e apóstatas. O que nós no Ocidente consideramos anormal é perfeitamente normal para o Islam.

Um segundo problema insuperável para o Islam é Maomé. Ele não é qualquer um. Ele é al-insan al-kamil, o homem perfeito. Para se tornar muçulmano, deve-se pronunciar a Shahada (o credo muçulmano). Ao prounciar a Shahada, a pessoa testifica que não há deus que mereça ser adorado, exceto Alá, e testifica que Maomé é seu servo e mensageiro.

O Corão e, portanto, Alá, estabelecem que a vida de Maomé deve ser imitada. As consequências disto são horrendas e podem ser testemunhadas em uma base diária.

Muito se analisou a sanidade mental de Maomé. Apesar de todas as pesquisas disponíveis, elas raramente são mencionadas ou debatidas. É tabu discutir a verdadeira natureza do homem que um bilhão e meio de muçulmanos ao redor do mundo consideram um profeta sagrado e um exemplo a ser seguido. Este tabu deve ser quebrado no Ocidente e aqui nos Países Baixos.

Ali Sina é um ex-muçulmano iraniano que fundou a organização de apóstatas do Islam Faith Freedom International. Em seu último livro, ele sustenta que Maomé é um narcisista, um pedófilo, um assassino em massa, um terrorista, um misógino, um parasita, um líder de culto, um louco, um estuprador, um torturador, um assassino e um saqueador. Sina ofereceu 50 000 dólares para quem puder provar o contrário. Ninguém ainda reclamou a recompensa. E não é de se admirar, já que a descrição se baseia nos próprios textos islâmicos, como os hadiths, as descrições da vida de Maomé a partir do testemunho de seus contemporâneos.

O Maomé histórico foi o líder selvagem de uma gangue de assaltantes de Medina. Sem escrúpulos, eles saquearam, estupraram e assassinaram. As fontes descrevem as orgias de selvageria em que as gargantas de centenas de pessoas foram cortadas, mãos e pés foram amputados, olhos foram arrancados, tribos inteiras massacradas. Um exemplo é a extinção da tribo judia de Banu Qurayza, em Medina, em 627. Um dos que arrancou suas cabeças foi Maomé. As mulheres e crianças foram vendidas como escravas. Ao nos depararmos com a loucura dos terroristas islâmicos de hoje, não é difícil descobrir de onde esta loucura vem.

Em Viena, a ativista de direitos das mulheres Elisabeth Sabaditsch-Wolff foi recentemente condenada a pagar uma multa por insultar uma religião, ao chamar Maomé de pedófilo. Entretanto, isto é verdade. Vários hadiths contêm testemunhos da esposa favorita de Maomé, a esposa-criança Aisha. Aisha literalmente diz: "O profeta me desposou quando eu tinha seis anos de idade e teve relação comigo quando eu tinha nove."

De acordo com o historiador Teófanes (752-817), Maomé era epilético. Crises de epilepsia às vezes são acompanhadas por alucinações, transpiração na testa e espuma na boca, os mesmos sintomas que Maomé apresentava durante suas visões.

Em seu livro "The Other Muhammad" [O outro Maomé] (1992), o psicólogo flamengo dr. Herman Somers conclui que, na casa dos quarenta anos, o "profeta" começou a sofrer de acromelagia, uma doença causada por um tumor na glândula pturitária, um pequeno órgão situado logo abaixo do cérebro. Quando o tumor na glândula pturitária causa pressão demais no cérebro, a pessoa começa a ver e ouvir coisas que não estão lá. Eis o diagnóstico psico-patológico da doença de Maomé, segundo Somers: distúrbio alucinatório orgânico com características paranóicas.

O historiador médico Armin Geus fala de uma esquizofrenia alucinatória paranóica. Uma análise similar pode ser encontrada no livro "The Medical Case of Muhammad" [O caso clínico de Maomé], do dr. Dede Korkut.

Em seu livro "Psychology of Mohammed: Inside the Brain of a Prophet" [A psicologia de Maomé: Por dentro do cérebro de um profeta], o Dr. Masud Ansari chama Maomé de "a encarnação perfeita de um psicopata no poder." Maomé tinha uma personalidade paranóica fora de controle, com um complexo de inferioridade e tendências megalomaníacas. Na casa dos quarenta anos, ele começa a ter visões que o levam a acreditar que ele tem uma missão cósmica e que ninguém vai detê-lo.

A verdade nem sempre é agradável ou politicamente correta. Com base nas pesquisas acima mencionadas, pode-se sustentar que o credo islâmico obriga um bilhão e meio de pessoas ao redor do mundo, incluindo o milhão vivendo nos Países-Baixos, a tomarem Maomé como seu exemplo. Não há retorno depois que uma pessoa se torna muçulmana, pois embora o artigo 18 da Declaração Universal dos Direitos Humanos afirme que toda pessoa tem o direito a "mudar sua religião ou crença", no Islam há a pena de morte por deixar a fé.

Quem quer que expresse críticas ao Islam e a Maomé está em grave perigo pessoal -- como é o meu caso. E quem quer que tente escapar da influência do Islam e de Maomé corre risco de vida. Não podemos continuar a aceitar este estado de coisas. Um debate público sobre a verdadeira natureza e o caráter de Maomé podem resultar na conscientização e no apoio aos muçulmanos do mundo inteiro que desejam deixar o Islam.

Os apóstatas são heróis e mais do que nunca eles merecem o apoio dos que amam a liberdade em todo o mundo. Os partidos políticos não devem interferir neste assunto. É hora de nós ajudarmos estas pessoas, expondo Maomé.

Geert Wilders é deputado nos Países-Baixos. Ele é presidente do Partido da Liberdade (PVV)

quarta-feira, 11 de maio de 2011

O que o Senhor diz sobre os "santos, espíritas, cartomantes, etc..." - Veja como o Senhor os retrata.

---------- Mensagem encaminhada ----------
De: Fabio Lima Joseph.

Irmã, encontrei este texto de um irmão de Recife e achei muito bom para os que ainda seguem a santos e deuses que são abominações ao nosso Deus!
   
Porque não pedir ou esperar nada dos santos ou imagens??

Porque Deus já nos advertiu, pois Ele é o Deus Eterno:
"Não fareis ídolos. Não levantareis estátuas nem estelas, e não poreis em vossa terra pedra alguma adornada de figuras, para vos prostrardes diante dela, porque eu sou o Senhor, vosso Deus". (Lv 26,1)

Porque Ele não admite que seres feito à sua imagem se ajoelhem diante de uma escultura:
"Eu sou o Senhor teu Deus, que te fez sair do Egito, da casa da servidão. Não terás outros deuses diante de minha face. Não farás para ti imagem de escultura, nem figura alguma do que está em cima, nos céus, ou embaixo, sobre a terra, ou nas águas, debaixo da terra. Não te ajoelharás diante delas e não lhes prestarás culto. Eu sou o Senhor, teu Deus, um Deus zeloso que vingo a iniquidade dos pais nos filhos, nos netos e nos bisnetos daqueles que me odeiam, mas uso de misericórdia até a milésima geração com aqueles que me amam e guardam os meus mandamentos." Exodo 20:2-6

Porque elas são obras das mãos dos homens:
"Os ídolos dos pagãos não passam de prata e ouro, são obras de mãos humanas". (Sl 134,15)

Porque não passam de pedaços de madeira inúteis:
9. Os fabricantes de ídolos nada são e suas preciosas obras nada valem; para confusão deles, suas testemunhas não sabem ver nem compreender.
10. Aquele que quer modelar um deus, funde uma estátua que não servirá para nada.
11. Seus fiéis ficarão decepcionados e seus operários são apenas homens. Que todos se congreguem e compareçam. Ficarão assustados e decepcionados.
12. O ferreiro manipula o formão e trabalha no forno; talha o ídolo com golpes de martelo; modela-o com mão vigorosa; mas tem fome, sente-se esgotado, tem sede, está extenuado.
13. O escultor em madeira estica o cordel, traça o esquema a lápis, desbasta a imagem com o cinzel, mede-a com o compasso; dá-lhe forma humana, fá-la um belo tipo de homem, para colocá-la numa casa.
14. Vai cortar madeira, apanha um roble ou um carvalho que tinham deixado crescer entre as árvores da floresta que o Senhor havia plantado, e que a chuva havia feito crescer.
15. Depois faz com a madeira um fogo, e leva-o para se aquecer; queima-a também para cozer o pão; enfim serve-se dela para fabricar um ídolo diante do qual se prosterna.
16. Queima a metade de sua madeira, sobre a brasa assa a carne, come esse assado até fartar-se. Então aquece-se e diz: Como é bom sentir o calor e admirar a chama!
17. Com a sobra faz um deus, um ídolo diante do qual se prostra para adorá-lo e orar dizendo: Salva-me, tu és meu deus.
18. Falta bom senso e juízo a essa gente; têm os olhos tão fechados que não veem, seus corações não podem compreender.
19. Ninguém reflete nem tem bom senso e inteligência para se dizer: Queimei metade, cozi pão sobre a brasa, aí assei a carne que comi e iria eu fazer do resto um ídolo miserável? Prostrar-me-ia diante de um pedaço de madeira?
20. Este homem se nutre de cinzas, seu coração desabusado o desencaminha, ele não consegue salvar-se nem dizer: Não será um logro o que tenho nas mãos? (IS 44)

Não podem salvar:
"Nada sabem os que conduzem em procissão as suas imagens de escultura, feitas de madeira, e rogam a um deus que não pode salvar" (Is. 45:20)

Neles não há sopro de vida:
"Ai daquele que diz à madeira: Desperta! E à pedra: Levanta-te! (Não se ouvirá mais que silêncio). Ei-lo coberto de ouro e de prata, mas não há nele sopro algum de vida". (Hab 2,19)
"Os ídolos dos pagãos não passam de prata e ouro, são obras de mãos humanas".
"Têm boca e não podem falar; têm olhos e não podem ver;"
"têm ouvidos e não podem ouvir. Não há respiração em sua boca". (Sl 134,15-17)

É uma estátua muda:
"De que serve a imagem esculpida para que o escultor a talhe? E o ídolo fundido, que só ensina mentiras, para que o artífice nele ponha a sua confiança, fabricando divindades mudas?" (Hab 2,18)

Não passa de um espantalho:
"Assemelham-se esses deuses a um espantalho em campo de pepinos, que devem ser levados, pois não caminham. Não os temais, pois que vos não podem fazer mal, nem têm o poder de fazer o bem". (Jr 10,5)

Porque o culto de inomináveis ídolos é o começo, a causa e o fim de todo o mal:
"É pela idealização dos ídolos que começou a apostasia, e sua invenção foi a perda dos humanos". (Sb 14,12)
"Eles não existiam no princípio e não durarão para sempre;" (Sb 14,13) "a vaidade dos homens os introduziu no mundo. E, por causa disso, Deus decidiu a sua destruição para breve". (Sb 14,14)
Tudo começou pela simples idéia de ter como lembrança a imagem de alguém que morreu:
"Um pai aflito por um luto prematuro, tendo mandado fazer a imagem do filho, tão cedo arrebatado, honrou, em seguida, como a um deus aquele que não passava de um morto, e transmitiu, aos seus, certos ritos secretos e cerimônias". (Sb 14,15)

É um costume maligno:
"Este costume ímpio, tendo-se firmado com o tempo, foi depois observado como lei". (Sb 14,16) "Foi também em consequência das ordens dos príncipes que se adoraram imagens esculpidas, porque aqueles que não podiam honrar pessoalmente, porque moravam longe deles, fizeram representar o que se achava distante, e expuseram publicamente a imagem do rei venerado, a fim de lisonjeá-lo de longe com seu zelo, como se estivesse presente". (Sb 14,17) "Isto contribuiu ainda para o estabelecimento deste culto, mesmo entre os que não conheciam o rei; foi a ambição do artista," (Sb 14,18)"e a multidão, seduzida pelo encanto da obra, em breve tomou por deus aquele que tinham honrado como homem". (Sb 14,20)

É uma desgraça para a humanidade:
"E isto foi uma cilada para a humanidade: os homens, sujeitando-se à lei da desgraça e da tirania, deram à pedra e à madeira o nome incomunicável". (Sb 14,21)
"eles já não guardam a honestidade nem na vida nem no casamento, mas um faz desaparecer o outro pelo ardil, ou o ultraja pelo adultério". (Sb 14,24)
"Tudo está numa confusão completa - sangue, homicídio, furto, fraude, corrupção, deslealdade, revolta, perjúrio," (Sb 14,25)
"perseguição dos bons, esquecimento dos benefícios, contaminação das almas, perversão dos sexos, instabilidade das uniões, adultérios e impudicícias -" (Sb 14,26) "porque o culto de inomináveis ídolos é o começo, a causa e o fim de todo o mal". (Sb 14,27)

Quem clama a uma imagem de uma pessoa que morreu , invoca mortos, e como os mortos não podem subir, a pessoa fala com espíritos enganadores:

Saul foi a uma necromante e julgou que poderia invocar a Samuel um santo homem de Deus e profeta que havia morrido, porém ele não veio, mas veio um demônio passando-se por ele, e lhe trouxe uma palavra a Saul: Amanhã estarás aqui comigo. No outro dia Saul morreu suicidando-se, ele não foi para o céu, lugar onde o profeta fiel foi, mas certamente desceu ao abismo lugar de onde veio aquele espírito enganador com uma capa, enganando a Saul alegou ser o que profeta que morreu:

"O rei disse aos seus servos: Procurai-me uma necromante para que eu a consulte. Há uma em Endor, responderam-lhe". (1Sm 28,7)
"Disse-lhe então a mulher: A quem evocarei? Evoca-me Samuel". (1Sm 28,11)
"E o rei: Não temas! Que vês? A mulher: Vejo um deus que sobe da terra". (1Sm 28,13) (perceba que a mulher via um como deus que subia da terra, Samuel era servo santo e fiel a Deus ele viria do céu e não debaixo, do abismo)

"Qual é o seu aspecto? É um ancião, envolto num manto. Saul compreendeu que era Samuel, e prostrou-se com o rosto por terra". (1Sm 28,14)
(O espírito que se apresentou estava envolvido em um manto, e Saul entendeu que era Samuel, porém na verdade se tratava de um demônio.)

O demônio se passando por Samuel declarou a Saul que no outro dia Saul e todos os seus filhos estariam com ele, na verdade ocorreu, Saul não foi para o céu onde estava Samuel, mas foi para o abismo de onde subiu aquele espírito, Saul suicidou-se:

"Disse ao seu escudeiro: Tira a tua espada e transpassa-me, para que não o venham fazer esses incircuncisos, ultrajando-me! Mas o escudeiro não o quis fazer, porque se apoderou dele um grande terror. Então tomou Saul a sua espada e jogou-se sobre ela". (1Sm 31,4)

Samuel foi um homem fiel e reto desde a sua infância viveu para Deus, quando morreu foi recolhido pelo Senhor, ao contrário de Saul que além de suicida, morreu em plena desobediência, Saul não foi para o mesmo lugar que Samuel certamente:

"Saul morreu por causa da infidelidade, pela qual se tornara culpado contra o Senhor, não observando a palavra do Senhor e por ter consultado necromantes". (1Cr 10,13)

Uma pessoa que passou a vida toda em obediência não desobedeceria a Deus , até porque não lhe é permitido vir ou subir do mundo dos mortos:

"Não se ache no meio de ti quem faça passar pelo fogo seu filho ou sua filha, nem quem se dê à adivinhação, à astrologia, aos agouros, ao feiticismo,à magia, ao espiritismo, à adivinhação ou â invocação dos mortos, porque o Senhor, teu Deus, abomina aqueles que se dão a essas práticas, e é por causa dessas abominações que o Senhor, teu Deus, expulsa diante de ti essas nações" (Dt 18,10-12)

19. Havia um homem rico que se vestia de púrpura e linho finíssimo, e que todos os dias se banqueteava e se regalava.
20. Havia também um mendigo, por nome Lázaro, todo coberto de chagas, que estava deitado à porta do rico.
21. Ele avidamente desejava matar a fome com as migalhas que caíam da mesa do rico... Até os cães iam lamber-lhe as chagas.
22. Ora, aconteceu morrer o mendigo e ser levado pelos anjos ao seio de Abraão. Morreu também o rico e foi sepultado.
23. E estando ele nos tormentos do inferno, levantou os olhos e viu, ao longe, Abraão e Lázaro no seu seio.
24. Gritou, então: - Pai Abraão, compadece-te de mim e manda Lázaro que molhe em água a ponta de seu dedo, a fim de me refrescar a língua, pois sou cruelmente atormentado nestas chamas.
25. Abraão, porém, replicou: - Filho, lembra-te de que recebeste teus bens em vida, mas Lázaro, males; por isso ele agora aqui é consolado, mas tu estás em tormento.
26. Além de tudo, há entre nós e vós um grande abismo, de maneira que, os que querem passar daqui para vós, não o podem, nem os de lá passar para cá.
27. O rico disse: - Rogo-te então, pai, que mandes Lázaro à casa de meu pai, pois tenho cinco irmãos,
28. para lhes testemunhar, que não aconteça virem também eles parar neste lugar de tormentos.
29. Abraão respondeu: - Eles lá têm Moisés e os profetas; ouçam-nos!
30. O rico replicou: - Não, pai Abraão; mas se for a eles algum dos mortos, arrepender-se-ão.
31. Abraão respondeu-lhe: - Se não ouvirem a Moisés e aos profetas, tampouco se deixarão convencer, ainda que ressuscite algum dos mortos. (Luc.16:19-31)

(Perceba que em nenhum momento foi falado pelo fiel Abrãao que o morto voltaria para pregar, mas ao contrário ele fala que nem se o morto ressuscitasse, voltasse vivo, ele seria acreditado).

Deus já providenciou o Intercessor para os homens:
"Eis por que Cristo entrou, não em santuário feito por mãos de homens, que fosse apenas figura do santuário verdadeiro, mas no próprio céu, para agora se apresentar intercessor nosso ante a face de Deus". (Hb 9,24)

Deus já providenciou um Advogado para a humanidade:
"Filhinhos meus, isto vos escrevo para que não pequeis. Mas, se alguém pecar, temos um Advogado junto ao Pai, Jesus Cristo, o Justo". (1Jo 2,1)

Deus já providenciou um Mediador para a humanidade:
"Porque há um só Deus e há um só mediador entre Deus e os homens: Jesus Cristo, homem" (1Tm 2,5)

Em favor dos vivos deve-se invocar Aquele que está vivo e reina para sempre e não mortos:

"Se vos disserem: Consultai os espíritos dos mortos, os adivinhos, os que chilreiam entre os dentes e murmuram. Porventura um povo não deve recorrer ao seu Deus? Porventura em favor dos vivos, consultarão os mortos? Consultem a Lei de Deus, pois do contrário não verão a alva" (Is 8,19-20)

São seres inanimados:
10. (2) Por que diriam as nações pagãs: Onde está o Deus deles?
11. (3) Nosso Deus está nos céus; ele faz tudo o que lhe apraz.
12. (4) Quanto a seus ídolos de ouro e prata, são eles simples obras da mão dos homens.
13. (5) Têm boca, mas não falam, olhos e não podem ver,
14. (6) têm ouvidos, mas não ouvem, nariz e não podem cheirar.
15. (7) Têm mãos, mas não apalpam, pés e não podem andar, sua garganta não emite som algum.
16. (8) Semelhantes a eles sejam os que os fabricam e quantos neles põem sua confiança. Sl.113:10-16 – Bíblia Católica / Salmo 115:2-7 – Bíblia João Ferreira

Atrás dos ídolos mudos agem demônios:
"Que quero afirmar com isto? Que a carne sacrificada aos ídolos ou o próprio ídolo são alguma coisa?" (1Cor 10,19) "Não! As coisas que os pagãos sacrificam, sacrificam-nas a demônios e não a Deus. E eu não quero que tenhais comunhão com os demônios". (1Cor 10,20)

Converta-se ao Deus vivo:
"De fato, a nosso respeito, conta-se por toda parte qual foi o acolhimento que da vossa parte tivemos, e como abandonastes os ídolos e vos convertestes a Deus, para servirdes ao Deus vivo e verdadeiro," (1Ts 1,9)
Todos aqueles que foram fiéis e santos diante do Senhor nesta terra, aguardam o dia do arrebatamento para se unirem a Deus nos céus, não estão ainda diante de Deus por isso não podem interceder pela vida de qualquer um de nós, somente nós os vivos devemos interceder uns pelos outros, Maria, José, Paulo, João, Tomé, Pedro, Antônio e todos os demais homens e mulheres de Deus que passaram pela terra e estão mortos hoje, aguardam o grande dia do Senhor onde ressuscitados e glorificados estarão juntamente conosco os salvos para sempre com Deus:
13. Irmãos, não queremos que ignoreis coisa alguma a respeito dos mortos, para que não vos entristeçais, como os outros homens que não têm esperança.
14. Se cremos que Jesus morreu e ressuscitou, cremos também que Deus levará com Jesus os que nele morreram.
15. Eis o que vos declaramos, conforme a palavra do Senhor: por ocasião da vinda do Senhor, nós que ficamos ainda vivos não precederemos os mortos.
16. Quando for dado o sinal, à voz do arcanjo e ao som da trombeta de Deus, o mesmo Senhor descerá do céu e os que morreram em Cristo ressurgirão primeiro.
17. Depois nós, os vivos, os que estamos ainda na terra, seremos arrebatados juntamente com eles sobre nuvens ao encontro do Senhor nos ares, e assim estaremos para sempre com o Senhor. (I Ts.4:13-17)

42. Assim também é a ressurreição dos mortos. Semeado na corrupção, o corpo ressuscita incorruptível;
43. semeado no desprezo, ressuscita glorioso; semeado na fraqueza, ressuscita vigoroso;
44. semeado corpo animal, ressuscita corpo espiritual. Se há um corpo animal, também há um espiritual.
45. Como está escrito: O primeiro homem, Adão, foi feito alma vivente (Gn 2,7); o segundo Adão é espírito vivificante.
46. Mas não é o espiritual que vem primeiro, e sim o animal; o espiritual vem depois.
47. O primeiro homem, tirado da terra, é terreno; o segundo veio do céu.
48. Qual o homem terreno, tais os homens terrenos; e qual o homem celestial, tais os homens celestiais.
49. Assim como reproduzimos em nós as feições do homem terreno, precisamos reproduzir as feições do homem celestial.
50. O que afirmo, irmãos, é que nem a carne nem o sangue podem participar do Reino de Deus; e que a corrupção não participará da incorruptibilidade.
51. Eis que vos revelo um mistério: nem todos morreremos, mas todos seremos transformados,
52. num momento, num abrir e fechar de olhos, ao som da última trombeta (porque a trombeta soará). Os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados.
53. É necessário que este corpo corruptível se revista da incorruptibilidade, e que este corpo mortal se revista da imortalidade.
54. Quando este corpo corruptível estiver revestido da incorruptibilidade, e quando este corpo mortal estiver revestido da imortalidade, então se cumprirá a palavra da Escritura:
55. A morte foi tragada pela vitória (Is 25,8). Onde está, ó morte, a tua vitória? Onde está, ó morte, o teu aguilhão (Os 13,14)? (I Cor.15)

Enviado por:
Raquel Fragoso
Recife, Pernambuco, Brasil